terça-feira, 31 de janeiro de 2017

De volta... Trajetória profissional

Boa tarde caros leitores,

fiquei um bom tempo fora, a explicação foi a mudança, casa nova, muita coisa para fazer, não tinha internet ligada ainda, aí ficou complicado, mas agora boa parte já normalizou e creio poder voltar a postar normalmente e acompanhar os blogs parceiros, vou preparar algum material interessante para escrever essa semana para compensar, aceito sugestões, é só deixar nos comentários!

Alguns blogs comentam sobre a questão profissional, temos o nosso amigo Viver de Construção que acaba sendo um exemplo que podemos tirar muita coisa positiva, então resolvi contar minha jornada aqui na empresa até chegar aonde estou, creio que muitos possam estar na situação que passei, formar e ter que brigar por uma classificação.

Sou formado em técnico em mineração, na minha época tinha a opção de estudar o técnico junto com o ensino médio (foi a melhor coisa que eu fiz até hoje), fiz estágio técnico e fui efetivado em uma gigante do nosso país, Vale, achei que minha vida seria ficar e crescer ali, mas empresa grande (pelo menos para o meu caso) não era uma boa saída, fiquei 2 anos e não saí do lugar, isso foi me desmotivando, então resolvi ir para faculdade e largar o trabalho, mas não aguentei ficar muito tempo dependente dos pais novamente e fui efetivado em outra mineração, porém de pequeno porte dessa vez.

As promoções foram surgindo, até que chegou na parte mais complicada pra mim, formei em engenharia civil, o que fazer agora? Já tinha um bom salário, seria melhor forçar uma classificação? Ficar quieto e aguardar? Procurar vaga de engenheiro em outra empresa? Montar meu próprio negócio? Nossa, foi uma confusão de pensamentos, então fiz a minha opção, se foi a melhor ou não, eu não tenho como saber, mas até hoje estou feliz com o caminho que tomei.

Como eu já tinha bons anos de empresa, acabei conhecendo muita gente e, principalmente, os principais gerentes, com esse bom relacionamento, fui conversando com um e outro até chegar a falar diretamente com o gerente da área que eu queria sobre a situação, isso me ajudou porque quando fui conversar com o gerente da engenharia, muitos já tinha comentado com ele "por que você não puxa o fulano para sua equipe?", "o fulano tem bom relacionamento, se encaixaria bem na engenharia", "o fulano tem potencial, se fosse formado na minha área eu puxaria ele", coisas assim... não deu outra, ele se interessou e aí começou a última e pior briga... o RH!!!

Diversas razões foram colocadas pelo RH, ridículas diga-se de passagem... A pior de todas e mais comum no meio que conheço foi "Não pode pular de técnico para engenheiro, tem que passar por analista primeiro", é revoltante isso, se eu saísse da empresa, com certeza colocariam outro com salário maior no meu lugar, não entendo essa ideia das empresas brasileiras que não valorizam os colaboradores que tem, preferem mandar embora e buscar outros, além de conhecer boa parte da equipe, quem tem anos de empresa acaba tendo muito histórico também, as vezes fatos muito relevantes que serão perdidos.

Mas enfim, depois de muita confusão, até o CEO e COO foram envolvidos (nessa parte eu tive sorte de saber falar inglês já que minha empresa é multinacional e acabei tendo entrevista com os dois), deu tudo certo e fui contratado para a engenharia e estou feliz nessa área, foi algo que sempre gostei de fazer, agora é fazer a pós em gerenciamento de projetos e seguir adiante.

Sei bem que a situação no país está diferente hoje, sei também que o que deu certo pra mim, pode dar errado para outra pessoa, mas eu quis expor uma situação real para que outras pessoas possam ver esse lado, talvez outros blogueiros tenham escolhido outro caminho e se dado bem também, quando compartilharem, ficará ainda mais interessante. Bem, acho que já falei demais, talvez faça outros posts nesse estilo, acho que agrega.

Bons investimentos!

5 comentários:

  1. Fala IE,

    Bacana. Passei por algo parecido, uma luta para mudar pra um cargo melhor na empresa onde trabalho.

    Nao lembro se foi o Executivo Pobre ou Economicamente Incorreto que disse, mas uma vez falaram "santo de casa nao faz milagre" respondendo a uma indagacao que fiz sobre o motivo de ser tao dificil crescer estando dentro da empresa.

    Se voce nao tivesse mudado com certeza trariam alguem de fora com salario as vezes ate maior.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia VdC,

      "santo de casa não faz milagre", esse parece um mantra das empresas brasileiras, fico abismado com isso, aqui mesmo, em um outro setor, vi situação assim, era um biólogo que ganhava cerca de 6k, brigou por aumento e nada, até que desistiu e saiu da empresa, 2 semanas depois trouxe um outro biólogo, com menos experiência, ganhando 8k... vai entender rsrs

      Abraços.

      Excluir
  2. Essa época dos cursos profissionalizantes era melhor do que atualmente. Gostei da sua história, é uma pena que não tenha vaga pra todo mundo nas multinacionais. Mas parabéns, você lutou pra estar aonde se encontra!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza PH, foi uma época boa porque os cursos eram de muita qualidade, fiz em um instituto federal concorrido, era em outra cidade, saía de madrugada e chegava a noite porque tinha aula de manhã e a tarde, mas valeu todo o esforço, tudo que tenho hoje devo a esse sacrifício.

      O mercado realmente está ruim, mas não podemos desanimar, sempre nos capacitando mais e aumentando o network, ou então para quem tem espírito para coisa, empreender :D

      Abraços.

      Excluir
  3. Fala meu camarada!
    Vim aqui, para brincar um pouco:
    Fiz um meme, brincando com a galera que investe em FII.

    Quando puder, dá uma olhada:

    https://franckepeixoto.blogspot.com.br/2017/02/investidor-de-imoveis-raiz-nutella.html

    ResponderExcluir